A manutenção de um veículo é algo que exige cuidados e atenção, principalmente quando esses automóveis representam o “ganha-pão” do seu negócio. No caso de manutenção de veículos em autoescolas, itens como freios, óleo lubrificante, calibragem, alinhamento dos pneus e outros precisam ser sempre acompanhados. Como frotistas, as autoescolas precisam se preocupar com mais uma série de fatores para manter seus veículos em dia e operando. Saiba mais.

Atualizado em Março/2018

Além de seguir uma série de dicas e rotinas, as quais vamos expor a seguir, é importante manter um controle digital desses processos, com a geração de relatórios que ajudem a otimizar a gestão do CFC. O uso de um software de gestão é o aliado mais indicado para toda a sua rotina.

Controle de combustível nas autoescolas

Controle de combustível nas autoescolas

É simplesmente impossível estimar com eficiência dados de consumo e também de gastos com o abastecimento se você nunca enche os tanques dos veículos nos mesmos postos de combustíveis.

O ideal, para manter veículos sempre em dia e ao mesmo tempo identificar problemas mecânicos e de rendimento em frotas de autoescolas é abastecer todos os veículos sempre nos mesmos postos, com o mesmo combustível e, se possível, enchendo tanques com uma frequência regular.

Isso indicará quais automóveis estão consumindo mais e precisam de revisão, reparos ou mesmo se está na hora de serem substituídos.

Manutenção de pneus dos veículos do CFC

manutencao-de-pneus-dos-veiculos-do-cfc

O ideal é fazer o alinhamento e balanceamento de um veículo, bem como a verificação dos pneus a cada 5 mil quilômetros.

Porém, no caso de autoescolas, o mais prudente é estabelecer uma frequência temporal – trimestral ou mesmo mensal, intercalando veículos para manter sempre pneus e direção em dia.

Na hora de substituir pneus, a regra da regularidade também se aplica: escolha pneus de mesma marca e modelo, preferencialmente, cujo rendimento de vida útil sejam minimamente previsíveis.

Mantenha estes dados sempre atualizados no seu software para CFC.

Controle de lubrificantes

lubrificante

A troca de óleo em qualquer veículo é realizada em intervalos regulares, geralmente indicados pelo local que faz a substituição.

Contudo, no caso de autoescolas devemos levar em conta que a maioria dos veículo roda, grande parte do tempo, em marcha lenta, o que exige mais do motor e consome mais óleo lubrificante.

Seguir a escala sugerida pelo fabricante, nesse caso, pode levar ao aparecimento de borras ou mesmo comprometer o motor.

Não há necessidade de se fazer a troca em intervalos regulares, mas a verificação deve ser feita semanalmente, por colaborador da própria autoescola.

Controle de documentação e infrações dos veículos da autoescola

placa-transito

Todo controle de documentação e possíveis infrações dos veículos da frota devem ser acompanhados e mantidos em arquivo ou sistema de gestão, nos quais possam ser rapidamente acessados sempre que for preciso.

É bom efetuar checagens mensais em relação às condições de licenciamento, multas e outros dados relevantes em cada um dos veículos.

Oficinas e peças de reposição

oficina

Do mesmo modo que nos postos de combustíveis, de preferência as oficinas que prestam serviço a autoescolas devem ser escolhidas dentre aquelas que são certificadas pelas montadoras correspondentes.Isso inclui boa estrutura e atendimento com rapidez e eficiência.

Além de realizar reparos e consertos, as oficinas também irão realizar revisões e diagnósticos nos veículos de sua frota.

Um bom relacionamento e um uso mais frequente dos serviços dessas oficinas, embora possa parecer caro em um primeiro momento, irá se revelar de grande valia na hora de realizar substituições ou atualizações em sua frota.

Os dados provenientes de oficinas, quando bem geridos, podem indicar quais veículos possuem um custo menor ou maior de manutenção, quais são aqueles que geram mais problemas (e que, portanto, não devem ser comprados novamente) e também podem levar à criação de melhores práticas na rodagem e uso dos automóveis.

Do mesmo modo, o controle da substituição de peças e valores de mão de obra em oficinas podem levar a valiosas conclusões para a autoescola, inclusive indicando peças e itens que possam ser comprados e mantidos em inventário pelo próprio CFC.

Será que está na hora de trocar o veículo?

trocar-veiculos-autoescola

Quando estamos falando de veículos novos, sabemos que é normal que desvalorizem de forma acelerada logo nos primeiros anos. É como diz o ditado: “quando o carro sai pela porta da concessionária, já não vale mais o mesmo”.

Mas lembre-se de que o ritmo dessa desvalorização diminui nos anos seguintes. Assim, as trocas frequentes acabam trazendo prejuízos ao invés de gerar tranquilidade e lucro.

Tomando uma visão geral do que ainda deve considerar antes de decidir renovar a frota do seu CFC, leve em conta estes fatores:

1. Disponibilidade dos veículos

Cerifique quanto tempo sua frota está disponível para o trabalho de fato, pois quanto mais antigos forem os veículos, maiores as chances de paradas para manutenções.

2. Dificuldade de reposição das peças

Se o custo e a dificuldade em encontrar peças de reposição forem altos, isso indica que é hora de pensar na substituição do veículo. Lembre-se de que o preço do seguro estará aumentando também, enquanto que o valor do bem só diminui.

3. Custo de manutenção x Valor do veículo

Verifique periodicamente a tabela FIPE para conhecer a cotação do veiculo. Feito isto, multiplique por dois o valor gasto no último ano com manutenções. Se o valor encontrado for maior do que 15% da cotação pela tabela FIPE, é hora de pensar na substituição do bem.

Os gastos com pneus contam neste cálculo? Não. Afinal, não importa se o veículo é novo ou tem vários anos de trabalho. O desgaste dos pneus acontece de acordo com o grau de uso e não tem relação direta apenas com a vida útil do veículo.

E você, possui alguma dica ou metodologia para gerir a manutenção dos veículos da sua autoescola? Compartilhe conosco, opine e contribua!

8203

Este post tem 2 comentários

  1. LUCAS PACHEMSHY ZANDONADI

    Um cfc deve guardar as OS (Ordem de Serviço) da oficina ou comprovantes de revisões em seu banco de dados?

    1. GestorCFC

      Oi, Lucas!
      Sim, todos os comprovantes de manutenções devem ser guardados e informados no sistema, até para que seja possível obter um melhor controle e fazer análise dos dados periodicamente.
      Só assim é possível verificar aspectos como: o retorno do investimento, a hora certa de trocar de veículo (se ele estiver constantemente apresentando defeitos) e até evitar desvios ou despesas desnecessárias.
      Obrigado pela visita!
      Abraços da Equipe GestorCFC.

Comentários encerrados.