Primeira habilitação: os 6 maiores dramas dos seus alunos

primeira-habilitacao-drmas-alunos

Primeira habilitação: os 6 maiores dramas dos seus alunos

Sabe aquele aluno que está tentando tirar a primeira habilitação? Pois é, ele passou por um longo caminho até chegar ao seu CFC… mas nada se compara a tudo o que ainda vem pela frente. Você conhece os maiores dramas da sua turma? Veja alguns deles e conte pra gente como você lida com isso.


Atire a primeira pedra quem nunca contou os dias pra completar 18 anos. Esse era o “número mágico” que nos libertaria de várias coisas chatas e abriria as portas para a liberdade, em um mundo cheio de aventuras! E isso incluía a ideia de pegar um carro pra sair viajando por aí. Ou não…

Provavelmente agora você abriu aquele compartimento secreto dentro da sua mente e ficou lembrando daquela época.  Então, antes que a gente comece a filosofar sobre tudo o que (ainda) não deu tempo de fazer, vamos focar nessa turma que está tentando tirar a primeira habilitação – e nos seus maiores dramas.

Tudo pronto pra voltar ao mundo real? Então vamos lá! Aqui vai a lista dos principais dramas dos alunos que estão em busca da primeira habilitação – e muitos deles você até já conhece:

1. Primeiro desafio: conseguir dinheiro

via GIPHY

Só ‘O Grande Gatsby’ (esbanjando no gif acima) não teria esse problema em seus melhores dias. Afinal, o primeiro drama pra quem tem 18 anos e quer pegar no volante – dentro da lei – é conseguir o dinheiro.

Aí vem aquela velha história: tudo parece tão barato pra quem vende, enquanto parece tão caro pra quem compra… E a primeira habilitação entra nesse raciocínio.

Na verdade, sabemos que no preço final de uma CNH estão embutidas inúmeras taxas do governo e mais a parte que cabe ao CFC, que por sua vez também tem inúmeras despesas pra continuar prestando um bom serviço.

Quem ainda não estiver trabalhando nessa idade, vai ter de pedir emprestado para os pais ou para algum parente próximo. Se já estiver ganhando seu dinheirinho suado, não quer dizer que o desafio seja menor. Em qualquer das duas situações, a sua autoescola vai precisar ter aquele jeitinho amigo pra facilitar as coisas.

Oferecer formas de pagamento flexíveis vai ser o seu diferencial com esse público jovem. É aqui que entram opções como boletos e promissórias. Só não esqueça de manter tudo bem organizado pra não esquecer de cobrar quando alguém esquecer de pagar.

Conheça o Módulo BOLETOS do sistema GestorCFC 

 

2. Aulas teóricas: como manter o foco?

via GIPHY

Grande parte dos alunos da primeira habilitação está no ensino médio, se preparando para o vestibular ou até começando a faculdade. Ou seja, por si só é uma rotina de bastante estudo e muita coisa pra memorizar. Isso, quando não falamos de quem trabalha fora também.

Em resumo, o tempo é curto mas o cansaço se torna grande. Por essa razão fica tão difícil se manter atento quando o assunto são as aulas teóricas da primeira habilitação.

A quantidade de leis e regras de trânsito a memorizar é grande. Então, quando o instrutor se preocupa em apenas passar a teoria toda no tempo programado, muitos alunos acabam deixando de prestar atenção. Esse problema vai refletir mais tarde, no índice de aprovação da prova teórica.

Encontrar maneiras de tornar as aulas teóricas menos monótonas vai fazer diferença pra você e para os alunos. Se você ainda não tem um Plano Estratégico Pedagógico do seu CFC, vale à pena pensar nisso.

3. O que vai cair na prova teórica?

via GIPHY

Pra quem está em busca da primeira habilitação a prova teórica é um grande mistério. Ninguém sabe o que vai cair.

Na mente do aluno, ele passou por semanas ‘eternas’ aprendendo sobre legislação, primeiros socorros, meio-ambiente e mecânica. Também assistiu uns vídeos bem ‘instrutivos’ sobre acidentes de trânsito.

Imagine se cai justamente aquilo que ele não lembra. Quem sabe algo sobre aquela matéria que ele não gostava? Ou pior: logo a pergunta da aula de mecânica que ele cochilou…

Por isso, ter uma comunicação mais efetiva, ficando por perto do aluno nesse período que antecede o dia da prova é uma atitude bem diferenciada que seu CFC pode tomar.

Essa é a melhor hora pra enviar dicas sobre a prova e lembretes com os temas mais importantes. Assim, o aluno não vai se sentir sozinho – ou abandonado à própria sorte…

Depois que ele vencer essa etapa, vai ficar feliz de ter escolhido uma autoescola que é uma verdadeira parceira.

AplicativoCFC: tudo o que sua autoescola precisa na palma da mão

 

4. Aulas práticas: encontrando brechas na agenda

via GIPHY

Passou na prova teórica? Vamos comemorar! Pera… ainda não acabou.

Agora finalmente vai começar a melhor parte: dirigir. Ansiedade só de pensar. Só que, antes, é preciso marcar as aulas práticas com o instrutor na agenda do CFC.

O desafio aqui é conseguir unir a disponibilidade de horas do instrutor com a disponibilidade do aluno, que também tem seus compromissos diários.

Esse desafio adquire grandes proporções quando a autoescola ainda controla tudo no papel ou em planilhas do Excel. Afinal, é preciso ter um cuidado imenso pra não errar no agendamento de aulas.

Em 1949, um engenheiro aeroespacial chamado Edward Aloysius Murphy formulou uma lei (da qual ele mesmo foi vítima) onde dizia que: “Se algo pode dar errado, dará.

Você pode entender melhor do que estamos falando dando uma olhada nesse artigo: Como otimizar a agenda de aulas e evitar horários ociosos.

Agora, se quiser mesmo facilitar a vida dos seus alunos, experimente usar um aplicativo para celular que seja interligado ao sistema de gestão do seu CFC. Assim, o próprio aluno tem acesso aos horários disponíveis e pode facilitar todo o processo de agendamento.

5. Posso acelerar agora? Não.

via GIPHY

Pronto. Chega o dia de encarar o volante, no maior orgulho. Aí, o instrutor de trânsito apresenta tudo o que o aluno precisa saber pra começar: pedais, câmbio, retrovisor, setas e cinto de segurança (nunca esqueça, #pelamor).

Logo na saída, o aluno sente aquele frio na barriga, deixa o carro morrer, esquece de dar seta, enfim… mas o instrutor está lá, pacientemente relembrando todo o passo a passo.

Pegou o jeito? Sem perceber, o aluno já começa a ultrapassar os 30Km/h, que normalmente é a velocidade máxima permitida nas vias urbanas. Depois vem a hora de aprender a fazer a baliza perfeita. E, assim, as aulas vão seguindo até que o aluno esteja apto pra fazer a prova prática.

Não temos como contar todos os detalhes diários da vida de um instrutor de trânsito. Mas sabemos que capacitação e jeito pra lidar com os alunos da primeira habilitação são requisitos básicos desse profissional tão importante, que tem relação direta com o índice de aprovação da autoescola.

Quer saber mais? Convidamos você a dar uma olhada nesses artigos:

6. A prova prática para a primeira habilitação

via GIPHY

Talvez este seja o maior dos dramas nessa jornada em busca da primeira habilitação. É a parte mais tensa da história.  O nervosismo começa a bater logo depois que o instrutor avisa: “esta será sua última aula prática antes da prova”.

Marcar o dia da prova prática nem sempre é tão fácil, já que o CFC precisa encaixar a data ideal no e-CNH. Se a autoescola possui um sistema de gestão que seja integrado ao Detran, esse passo fica bem mais simples e ninguém se perde no processo.

Quando chega o dia da prova, o aluno já está bem nervoso. Ainda mais quando descobre que outras pessoas que estão ali já fizeram a prova duas ou mais vezes e ainda não conseguiram passar.

O maior drama é ouvir aquela expressão: “pode ir embora” do avaliador. Isso significa que não foi dessa vez e que lá vem mais uma boa caminhada até chegar nessa etapa de novo.

Os colaboradores da sua autoescola que estiverem no local sabem que o apoio psicológico é fundamental nessa hora. Alguns CFC’s usam a técnica de manter seus alunos em conjunto, evitando conversar sobre assuntos que os deixem mais tensos quando estão ali, prestes a fazer o teste. Sua autoescola tem uma técnica especial pra essas horas também?

Moral da história

Existem mil maneiras de captar novos alunos em busca da primeira habilitação. O mais trabalhoso é mantê-los seguros e felizes, a ponto de indicar seu CFC para amigos e parentes. Mas pra isso também existem inúmeras estratégias. Basta pesquisar, avaliar e depois implantar as que mais combinam com a sua autoescola.

Existe uma regrinha básica – e sem dramas – pra fazer sua autoescola se diferenciar:

Seja o seu melhor. Não tenha medo se o concorrente espiar sua vitrine. Quando todos começam a te copiar, é sinal de que você é bom!

E então, como você tem feito para ajudar seus alunos da primeira habilitação a conquistarem a tão sonhada CNH? Conta pra gente!

 

 

Share this post

Comments (2)

  • Marco Aurélio Reply

    Muito bom mesmo, assim o CFC tem uma certa visão do que acontece com o aluno. Só o professor tem a real situação.

    13 de junho de 2018 at 21:19
    • GestorCFC
      GestorCFC Reply

      Oi, Marco Aurélio
      Essa fase é bem complicada e toda a ajuda faz diferença, não é?
      Obrigado pela visita e comentário!
      Abraços da Equipe GestorCFC

      14 de junho de 2018 at 11:45

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *