Engajamento: como aproveitar melhor os talentos que sua autoescola já tem

Engajamento: como aproveitar melhor os talentos que sua autoescola já tem

Engajamento: a incrível diferença das equipes de sucesso. Quer saber o que isso significa e como implantar técnicas que aproveitem melhor os talentos que sua equipe já tem? Então vem com a gente!


Aposto que alguém pensou: “Ah, já sei… vocês vão dizer que eu preciso ter funcionários felizes, mas na atual conjuntura não posso fazer muito em relação a isso“.  Se é o seu caso, fique tranquilo. Engajamento não é só satisfação ou felicidade, nem custa tão caro quanto muitas pessoas pensam. Mas a gente te explica tudo, porque engajamento é quase amor. ♥

Engajamento não é satisfação

engajamento-satisfação

A satisfação dos funcionários é uma questão bastante discutida e você já deve ter lido sobre isso em algum lugar. Mas satisfação não é engajamento.

A satisfação do seu colaborador está ligada àquilo que ele recebe da autoescola em contrapartida ao serviço prestado. É aquilo que ele deseja ou espera da empresa, como: salário, benefícios, alguma estabilidade, enfim.

Um funcionário pode estar satisfeito, mas não estar feliz, muito menos engajado. Um funcionário satisfeito pode passar o dia inteiro na empresa e sair no final do expediente sem reclamar de nada.  Mas dificilmente vai fazer alguma coisa além daquilo que for uma tarefa sua. E se aparecer uma oportunidade de ganhar 10% a mais em outra empresa, provavelmente ele vai embora.

Engajamento não é felicidade

mojitos

É possível ser feliz numa empresa e ainda assim não ser engajado? Poxa, é sim… Mas vamos entender melhor qual é a diferença entre felicidade e engajamento.

Existem vários tipos de técnicas ou programas especiais pra tornar uma equipe mais feliz com a empresa. Nesse aspecto, entram as reuniões de happy hour, as festas de final de mês, salas de jogos e outras tantas opções igualmente válidas e interessantes, que tornam o ambiente mais “humano”.

Mas nem sempre funcionários felizes estarão sendo produtivos para a empresa. Ou seja, um funcionário pode ser engajado nas confraternizações, mas não estar trabalhando duro em prol da organização. É por isso que felicidade não é engajamento.

Então o que é engajamento, afinal?

engajamento-o-que-é

Já que engajamento não é felicidade e nem satisfação, alguém pode me explicar agora o que é isso?

Lembra que você leu, lá no início, que “engajamento é quase amor”? Pois é… o engajamento é uma espécie de compromisso emocional que o colaborador desenvolve com a empresa.

Mas veja bem: só é possível ter engajamento se houver satisfação.

O funcionário engajado não está lutando apenas pelo salário no final do mês, ele vai além e está focado nos objetivos da empresa. Não vê problemas em fazer alguma tarefa que não é exatamente ligada ao seu setor se isso for preciso. Se encontrar um papel jogado no chão, não vai simplesmente passar por cima.

O colaborador engajado sabe qual é o seu papel na empresa e está colocado numa posição onde o seu talento é estimulado e se encaixa nos objetivos da organização. E ele tem uma compreensão clara desses objetivos, sabe que tem a oportunidade de expressar seus pontos de vista e oferecer ideias que serão levadas em conta nas decisões.

Um funcionário engajado se sente totalmente incluído na equipe, é confiável e capacitado, recebe feedbacks regulares e construtivos, desenvolve habilidades e é reconhecido por cada nova conquista.

Para o gestor, funcionários engajados reforçam o time, ajudando uns aos outros. Isso leva a empresa a obter melhores resultados nos negócios, já que pode contar com sua lealdade para atingir objetivos, melhorar produtos e serviços, se mantendo inovadora.

Benefícios do engajamento

beneficios-engajamento

O que a imagem de uma construção como essa tem a ver com a sua autoescola? Nada. A não ser uma relação com o sonho que toda empresa tem de contar com uma equipe completamente engajada ajudando a construir sua história. Mas como conseguir isso?

O engajamento da equipe se desenvolve através de uma relação saudável e colaborativa entre a empresa e os colaboradores. À partir do momento que você consegue estabelecer esse tipo de relação, começa a perceber os benefícios do engajamento. Veja alguns deles:

  • Um funcionário engajado sente orgulho da empresa e gosta do que faz. É um futuro líder para a organização, pois está comprometido com o seu sucesso;
  • Funcionários engajados vestem a camisa; divulgam, promovem e defendem a organização; refletem antes de agir para ter certeza de que seu comportamento não vai atingir a empresa negativamente;
  • Colaboradores engajados não se restringem à sua própria mesa, mas são proativos, tem visão e iniciativa, oferecem sugestões quando percebem que algo pode ser melhorado.

Como engajar minha equipe?

engajar-equipe

Não basta pensar apenas nos maiores cargos da sua autoescola quando o assunto é engajamento. Até porque, ficaria difícil um líder levar ideias adiante quando o restante da equipe está completamente desengajada.

Por isso, é preferível sempre pensar em construir um time homogêneo. Vejamos então algumas das melhores práticas pra engajar sua equipe:

1. Liderança excelente

Um dos principais motivos da falta de motivação e engajamento é uma liderança ruim. Por isso, o comportamento dos líderes também precisa ser avaliado.

O ideal é que os gestores conheçam cada colaborador da sua equipe, entendendo suas necessidades e estimulando seus talentos em benefício da empresa. Sob o ponto de vista dos funcionários, é sempre melhor contar com um líder inspirador que promove um sentimento de confiança, do que com um chefe que se detém a dar ordens. Saiba mais aqui.

2. Metas e propósitos bem definidos

Sua equipe só se sentirá engajada quando perceber que está realizando algo que faz diferença para a empresa. Afinal, quem terá vontade de pôr a “mão na massa” se o seu trabalho árduo não fizer diferença alguma?

A ideia aqui é demonstrar constantemente que sim, as funções que seus colaboradores desempenham geram resultados ou consequências diretas para a organização. Estabelecer metas bem definidas, dar autonomia e delegar tarefas quando necessário é fundamental nessa etapa.

3. Gerar oportunidades de crescimento

Fica difícil engajar um funcionário que sabe que, apesar de seu trabalho duro, jamais sairá do lugar. Quando percebe que não conseguirá progredir dentro da empresa, o funcionário se sente desmotivado e entra na “zona de conforto”. Essa desmotivação impede que ele entregue o seu melhor.

Um dos fatores mais valorizados pelos colaboradores é ter a chance clara de evoluir dentro da empresa. Ter um plano de carreira, por si só, já é um estímulo real para o desenvolvimento profissional. Mas claro, tudo dentro das limitações da própria organização.

4. Garantir formas de aperfeiçoamento profissional

Cursos e palestras com especialistas do setor são ótimas oportunidades de oferecer condições para que seus funcionários se aperfeiçoem profissionalmente.

Além de quebrar um pouco a rotina de trabalho, aprimorar os conhecimentos da sua equipe só traz benefícios para a empresa.  E mais: traz novos ares e grandes oportunidades de renovação em seus próprios métodos de trabalho.

5. Ter as ferramentas certas de trabalho

Medir o engajamento não é uma ciência exata, mas já existem pesquisas pra isso. E uma das primeiras perguntas que se faz ao funcionário é: “Você tem os materiais e as ferramentas certas para desempenhar seu trabalho corretamente?”.

De nada adianta você ter um funcionário super engajado se o expediente termina e o trabalho dele não rendeu o suficiente no dia. Quando isso acontece, é preciso parar pra avaliar duas questões:

  1. Ele está sobrecarregado porque os outros membros da equipe estão desengajados;
  2. Ele não tem as ferramentas que precisa pra desenvolver um trabalho melhor ou mais rápido.

No caso da sua autoescola, pergunte-se se o seu funcionário do caixa ainda precisa fazer os controles no papel; se a equipe de agendamento ainda guarda informações em planilhas… ou o que sua autoescola poderia fazer para facilitar a rotina e ganhar agilidade, pra poder competir com a concorrência sem medo de sair perdendo.

Já falamos sobre algumas ferramentas de trabalho para autoescola em vários artigos, incluindo esses:

 Como otimizar a agenda de aulas e evitar horários ociosos

Como fazer o fechamento das vendas diárias no seu CFC

A paixão nos trouxe aqui

engajamento-equipe

Uma equipe engajada é aquela que se preocupa com a organização. E as empresas que tem equipes engajadas tem mais oportunidades de negócios, maior valor percebido pelo mercado e margens de lucro maiores.

Analisando de um jeito bem simples, a equação funciona assim:

Funcionários engajados levam a mais qualidade e produtividade > que leva a maior satisfação do cliente > gerando aumento nas vendas > e maiores níveis de lucro.

As empresas que tem equipes engajadas contam com características em comum: possuem valores fortes e autênticos, mostrando claras evidências de confiança e justiça baseadas no respeito mútuo entre todos os envolvidos.

Que tal aproveitar melhor os talentos que sua equipe já tem? A paixão pelo que se faz é a grande diferença de um time de sucesso. Se o seu CFC está no ritmo do crescimento porque você encontrou a fórmula do engajamento, a gente só quer aproveitar pra te dar os parabéns!

E então, o que achou dessas dicas? Tem alguma dúvida ou quer conversar mais sobre o assunto? Deixe seu comentário! A gente ama ler e responder suas mensagens.

Abraços da Equipe GestorCFC e até a próxima!

 

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *